ATENÇÃO!

Todos os textos aqui presentes são da minha autoria à excepção daqueles cuja FONTE é devidamente indicada.
Não copie sem indicar a devida fonte "Essência da Magia" ou o devido Link.

All rights reserved, please do not copy my writings except those whose source is present.

domingo, 3 de julho de 2011

Conto Xamânico

OS LOBOS





Numa noite, um velho índio Cherokee contou ao seu neto sobre a batalha que acontece no interior das pessoas.

Ele disse:

- A batalha acontece entre dois lobos dentro de cada um de nós. Um é o Mal. É raiva, inveja, ciúmes, presunção, tristeza, ódio, ganância, arrogância. autopiedade, ressentimento, inferioridade, mentiras, orgulho, superioridade e ego.
O outro é o Bem. É alegria, paz. Amor, esperança, serenidade, humildade, gentileza, benevolência, empatia, generosidade, verdade, compaixão e fé.

O neto pensou sobre isso por um minuto e então perguntou ao avô:

- E qual é o vencedor?

E o velho Cherokee simplesmente respondeu:

- Aquele que você alimentar...




O índio Cherokee contou esta história ao neto para que o mesmo perceba a diferença entre o bem e o mal, o certo e o errado que vivem em constante luta na nossa mente, pois se o mesmo não tivesse consciencia de tal luta, estaría a viver permanentemente num grande tumulto.
Para impedir que um dia ele veja que tudo aquilo para o qual lutou e achava ser o certo é afinal errado, e que quando vencer na vida não se encontrar, sem se aperceber, fraco, vencido, triste, perdido, confuso e com medo.

-É como se existissem dois grandes lobos vivendo dentro de mim; um é branco e o outro é preto. O lobo branco é bom, gentil e não faz mal a ninguém. Ele vive em harmonia com tudo à sua volta e não se ofende se a intenção não era ofender. O lobo bom, sensato e certo de quem ele é e do que é capaz, briga apenas quando essa é a coisa certa a fazer e quando precisa se proteger ou à sua família, e mesmo então ele faz isso da maneira certa. Ele toma conta de todos os outros lobos da matilha e nunca se desvia da sua natureza.

- Mas existe o lobo preto também, que vive dentro de mim, e esse lobo é bem diferente. Ele é ruidoso, zangado, descontente, ciumento e medroso. Basta uma coisinha para que ele se encha de fúria. Ele briga com todo mundo, o tempo todo, sem nenhuma razão. Ele não consegue pensar com clareza, porque a sua ganância para ter sempre mais e a sua raiva e a sua ira são grandes demais. Mas trata-se de uma raiva infrutífera, filho, porque ela não muda nada. Esse lobo só procura confusão aonde quer que vá, e por isso sempre acaba achando. Ele não confia em ninguém, por isso não tem amigos de verdade.

- Às vezes, é difícil viver com esses dois lobos dentro de mim, pois eles brigam muito para dominar o meu espírito e na altura de tomar decisões, quando apenas um pode vencer, será aquele que for melhor alimentado que vence.
Mas ainda assim o outro lobo volta, pois não é possível alimentar apenas um.

- Ambos vencem. Se eu escolho alimentar só o lobo branco, o preto ficará à espreita, esperando o momento em que eu sair do equilíbrio ou ficar ocupado demais para prestar atenção às minhas responsabilidades, e então atacará o lobo branco e causará muitos problemas para mim e nossa tribo. Ele viverá sempre com raiva e brigará para atrair a atenção pela qual tanto anseia. Mas, se eu prestar um pouquinho de atenção no lobo preto, compreendendo a sua natureza, se reconhecê-lo como a força poderosa que ele é e deixá-lo saber que eu o respeito pelo seu caráter e o usarei para me ajudar se um dia eu ou a tribo estivermos em apuros, ele ficará feliz, e o lobo branco ficará feliz também, e ambos vencerão. Todos venceremos.

Então o neto perguntou:

- Mas como podem os dois vencer?

Então o avô continuou com a explicação:

Repara, o lobo preto tem muitas qualidades importantes de que eu posso vir a precisar, dependendo das circunstâncias. Ele é feroz, determinado, e não se deixará subjugar nem por um segundo. Ele é inteligente, astuto e capaz dos pensamentos e estratégias mais tortuosos, o que é importante em tempos de guerra. Ele tem os sentidos aguçados e superiores que só aqueles que olham através da escuridão podem apreciar. Em meio a um ataque, ele poderia ser o nosso maior aliado.

O avô tirou da sua bolsa alguns pedaços de carne defumada e colocou-os no chão, um à direita e o outro à esquerda. Ele apontou para a carne e disse;

- À minha esquerda está a comida para o lobo branco e à minha direita está a comida para o lobo preto. Se eu optar por alimentar os dois, eles não brigarão mais pela minha atenção, e eu poderei utilizar cada um deles como precisar. E como não haverá guerra entre eles, poderei ouvir a voz da minha sabedoria profunda e escolher qual dos dois pode me ajudar melhor em cada circunstância. Se a sua avó quer uma carne para fazer uma refeição especial e eu não cuidei disso como deveria, posso pedir para que o lobo branco me empreste a sua magia e consolar o lobo preto da sua avó, que estará zangada e faminta. O lobo branco sempre sabe o que dizer e me ajudará a ser mais sensível às necessidades dela.



- Se compreenderes a existência destas duas grandes forças dentro de ti e respeitares ambas de igual forma, as duas sairão vencedoras e haverá paz.
A paz, meu filho, é a missão dos Cherokee — O propósito supremo da vida.
Um homem que tem paz dentro de si tem tudo. Um homem dividido pela guerra em seu íntimo não tem nada. 
Tu és um jovem que precisa de escolher como vai lidar com as forças opostas que vivem no seu interior. A tua decisão determinará a qualidade do resto da tua vida. E quando um dos lobos precisar de atenção especial, o que acontecerá às vezes, não terás do que te envergonhar; poderás simplesmente admitir isso para os anciãos e conseguirás a ajuda de que precisa.
Quando isso for de conhecimento público, aqueles que já travaram essa mesma batalha podem oferecer-lhe a sua sabedoria.

Imagem


A verdade é que existe dentro de nós uma grande matilha de lobos, o lobo amoroso, o lobo sensível, o lobo forte, o lobo esperto, o lobo criativo, o lobo altruísta, etc... juntamente com o lobo egoísta, o lobo conflituoso (...).


Todos somos gentis e cruéis, frios e quentes, santos e pecadores e todos temos luz e escuridão. 

Existem ainda muitas qualidades e defeitos escondidos dentro de cada um de nós que podem despertar a qualquer momento, podendo muitas vezes tornarmo-nos o nosso próprio inimigo.


FONTE: Internet
PESQUISA, RESUMO e TRADUÇÃO por: Aril Aislin (portadora do Blogue)

1 comentário:

Seguidores